Doação de máscaras mostra solidariedade de parnanguaras no combate ao Covid-19

Provopar e comunidade se mobilizam para ajudar ao próximo. Idosos de asilo, crianças e pessoas carentes estão entre os beneficiados

Costureiras e pessoas que têm a costura como hobby estão fazendo toda a diferença neste momento de pandemia do Coronavírus ao confeccionar máscaras de proteção e doá-las para idosos e crianças carentes de Paranaguá. As iniciativas de solidariedade se multiplicam e nas redes sociais a todo momento se vê o quanto a população local quer ajudar ao próximo.

O Provopar está fazendo a distribuição de máscaras para famílias carentes de Paranaguá. A entrega já começou há alguns dias, com objetivo de atender pessoas que estejam em situação de vulnerabilidade social e não tenham condições econômicas de comprarem o produto. “Estamos organizando a confecção das máscaras com alguns voluntários e realizando as entregas. É importante ter esse ato que busca, antes de tudo, a prevenção”, destacou Morgana Gonçalves, representante do órgão.

A liberação do uso de máscaras por toda a população para combater a proliferação da Covid-19 ocorreu há poucos dias. Por isso está sendo grande a procura em estabelecimentos comerciais. Mas muitos deles não têm em estoque, pois desde o início da pandemia já havia indicação para utilização somente por parte dos profissionais de saúde.

Chama a atenção uma iniciativa da educadora Neide da Silva Fernandes, do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Jurandir Rosendo. A idéia era beneficiar os idosos do bairro Serraria do Rocha, mas o benefício acabou sendo estendido para os alunos e seus pais, além de pessoas carentes. “Já produzimos cerca de 400 máscaras e começamos ontem a entrega de 50. Nossa meta é confeccionar 1 mil máscaras para distribuir”, revelou a diretora do CMEI, Karime Klngelfus.

O CMEI fez uma parceria com a equipe de agentes comunitários do posto de saúde do bairro. A primeira remessa de máscaras foi repassada para ser realizada a entrega na casa da pessoa carente, atendida pelos profissionais do Estratégia Saúde da Família (ESF). Um grupo de 5 costureiras participa como voluntárias, sendo duas delas profissionais e outras 3 são professoras/educadoras, que aproveitam o período de quarentena para fazer o bem ao próximo em casa.

Além do equipamento de proteção, que vai embalado num plástico, também está sendo entregue um manual, para a correta utilização e a higienização necessária. O documento tem ainda informações importantes ao cidadão, como as formas de prevenir a doença. “A equipe do CMEI Jurandir está muito feliz em poder contribuir com a comunidade da Serraria do Rocha. É um momento crítico para todos, mas com solidariedade e amor ao próximo vamos vencer esta situação”, declarou a diretora.

A educadora Valdinéia Miranda, que mora na Vila São Vicente, abriu mão do tempo livre para ficar com a família por conta da quarentena para ajudar ao próximo. Resolveu usar a máquina de costura e doar seu trabalho, fios e agulhas para confeccionar máscaras para serem doadas na Serraria do Rocha. “É uma experiência muito boa saber que estou ajudando. Mesmo que de uma forma pequena sei que isso está fazendo uma grande diferença para a população”, contou a educadora, que pede que mais pessoas ajudem. “Assim seria bem melhor”, avalia ela.

> Encontre-nos no Facebook